Arquivo mensal: maio 2012

desafio de mercado: picolé de durião

Padrão

Com as temperaturas se elevando a cada dia, não resisti e outro dia comi meu primeiro picolé deste ano. Geralmente, não existem muitas opções de picolés de frutas na China como há no Brasil. A maioria é o batido creme-chocolate como Magnum, Corneto, sorvete de potinho, enquanto que as versões de frutas ficam entre a jujuba chinesa, o feijão-verde, o feijão-roxinho e um picolé de tangerinha que de tão doce chega a estalar os dentes. As versões de chá verde e gergelim ainda deixam um pouco a desejar…Eis que encontrei em uma lojinha de conveniência a nova opção (que parecia como um picolé da Melona (coreano), e resolvi dar uma chance.: picolé de durião.

Gente, não sabia, todos esses anos na Ásia eu achei que 榴莲 – liú lián ou durian era o mesmo que jaca, mas googando um pouquinho vi que durião e jaca, apesar de parecidos, são frutas bem diferentes, não pertencem nem a mesma familía…Bom, mesmo assim, a gente logo percebe quando chega a época do durião por aqui. Acredito que a maioria seja importando da Malásia ou Tailândia ou venha da Província de Hainan ao sul. Supermercados e ruas ficam com aquele cheirinho de… meia molhada ou pé com fungo ou cebola azeda, não sei explicar, um cheiro  forte indescritível.  Os asiáticos parecem ter uma verdadeira adoração pela fruta, ou como eles dizem, o durião é o rei das frutas, mas aconselham a não colocar na geladeira senão…não tem o que tire o cheiro depois.


O picolé de durião não desapontou. Estava refrescante e o não tinha um cheiro forte, estava bem levinho.

Empresa: Appolo Ice cream, Hong kong (http://www.appolo.com.hk/en/)

durião:  榴莲 – liú lián

Ah, só de curiosidade, também tem jaca na China. Jaca: 菠萝蜜 – bō luó mì (traduzindo literalmente fica abacaxi de mel)

qingdao 2: o que rola na praia chinesa

Padrão

Bom, além de tirar fotos de casamento, o turista brasileiro vai notar que os chineses fazem outras atividades na praia. Não é que eles não tenham cultura de praia, é só a maneira de curtir a praia que difere. Se você for a uma praia chinesa, geralmente não espere encontrar:

-canga na praia…todo mundo fica andando ou senta em algum pedaço de jornal ou em cima do calçado mesmo.

– vendedor ambulante de picolé, empadinha, jogo do bicho etc…na praia inteira, deve ter duas ou três barracas fixas que vendem coisas industrializadas (batatinha, refrigerante, biscoitos e alguns brinquedos de praia). Já no asfalto beirando a praia,

encontra-se muitos restaurantes e vendedores que servem frutos do mar.

– crianças fazendo castelinho no sol…nas barraquinhas os pais compram baldinhos vermelhos e levam as crianças até as pedras para ficar caçando mini caranguejos e peixinhos pra levar pra casa.
– pessoas de biquini/sunga……quase todo mundo fica de roupa inteira. Geralmente, o chineses só entram no mar nos dois meses de verão, ai sim as praias ficam lotadas. Vimos duas rodinhas de volei, nada de futebol, frescoboll ou taco. Pegamos tempo bom em um dia, mas a única pessoa que foi ao mar foi o Ivan!

Encontramos também um senhor sarado de sunga, que assim que viu o Ivan se preparando para ir ao mar veio conversar conosco em inglês. Ele estava tão feliz que até resolveu fazer uma demostração de flexão com apenas dois dedos no chão, segundo ele, a força do gongfu…

O que eu fiquei fazendo? Tirando foto das esquisitices rs…e claro, fiquei com uma baita saudades das nossas praias, acho que não tem quem consiga curtir  mais uma praia do que os brasileiros…

qingdao 1: mar de noivas

Padrão

Assim que chegamos a Qingdao, fomos direto conhecer as praias. Ivan queria dar um mergulho e não adiantava adiar o passeio. Há 6 praias principais na cidade, e resolvemos ir para a praia n˚6 (eles chamam as praias pelos números, uma pena pois acho que o nome da praia geralmente já carrega um identidade, uma história, fato).

A primeira coisa que vimos ao chegarmos lá não foi a praia em si e sim a quantidade exagerada de casais preparando as fotos do álbum de casamento, contamos uns 50 casais! Eram as poses mais diferentes (engraçadas para nós) e uma variedade de roupas (estilo casal havaiano, romântico com rendas) e acessório (chapéus, guarda-chuva, cataventos, buques, até mickey) para as fotos. Os noivos trocavam de roupa dentro de vans das empresas de fotografias.

Andamos até a praia n˚5 e no caminho ainda nos deparamos com um studio de fotografia de casamento tudo na areia: uma lancha, duas escadinhas brancas para os noivos darem aquela bitoca no alto, dois cisnes brancos para sentar, uma tenda branca, um letreiro vermelho com a palavra “love”, uma cama de casal branca (!!!) , um piano branco oco e por fim um porche fake.(!!!!), tudo pra ficar bem na foto! Nas igrejas que visitamos não vimos um único casamento, mas vários noivos do lado de fora tirando fotos para ter um look de arquitetura européia no álbum. Muito surreal!

Segue slideshow com algumas fotos…

Este slideshow necessita de JavaScript.