Arquivo mensal: março 2012

cerejeiras no gucun park

Padrão

Primavera. Época das cerejeiras em flor neste lado do mundo. Aproveitamos o sol (que mesmo tímido, deu as caras) e fomos conhecer o Parque Gucun Gongyuan (fala “gu tsun gon yuen”). O parque fica um pouco distante do centro de Shanghai e por isso resolvemos ir de metro. (super conveniente e vai para todos os lugares em Shanghai). No total foram 20 estações, cerca de 1 hora até chegar no parque.

O festival das cerejeiras vai até 20 de abril.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Endereço: Gucun Park 顾村公园
1 Huandao Lu, 488 Zhenhu Tai Lu, Gucun Town, Baoshan District, Shanghai
上海宝山区顾村镇沪太路4788号环岛路1号

Metro linha 7 – estação Gucun Park

entrada: cerca de RMB20,00/pessoa

direto da gôndola: milk+beer

Padrão

Ganbei! Eco!

Marca: 佳丽奶啤 –  jiālìnǎipí (“Beauty milk beer / Beleza leite-cerveja)*

Slogan: “不一样的畅快” – Um aconchego diferente ou Uma felicidade diferente.

Produto: leite com cerveja

No anúncio, o fabricante enfatiza que o produto :

消食开胃 – Ajuda na digestão de alimentos
解酒醒脑 - Alivia a ressaca
美容养颜 – Beleza
牛奶的营养,啤酒的爽快  – alia a nutrição do leite com a refrescância da cerveja!

De acordo com o fabricante*, o leite-cerveja tem uma grande quantidade de lactobacilos (embriagados?), levedura e vitamina B e por isso auxilia na digestão, principalmente de alimentos gordurosos. Além disso, o produto também é rico em ácidos orgânicos e outras substâncias que auxiliam na transformação do álcool. Ao ser ingerido depois das refeições, a bebida oferece uma sensação de prazer. E mais, devido ao processo de bio-fermentação, nenhum outro aditivos e preservativo é adicionado, e ao mesmo tempo o bilk é rico em proteínas, aminoácidos, vitaminas, calcium, tendo efeitos especiais para a beleza e digestão.

Também chamado de “bilk” (e porque não “meer”), a novidade apareceu no Japão por volta de 2007. Aqui na China foi a primeira vez que vi em um supermercado (Bazzar, perto do Xintiandi, carca de RMB6,00). O produto é fabricado na Província de Xingjiang (Urumuqi). O gosto de queijo é bem acentuado, parece misturado com champanhe. Lembra muito pouco cerveja. É estranho, não consegui nem dar o segundo gole, afe!

*nota: tradução livre, sem efeito comercial ou legal.

museu da propaganda

Padrão

Tradução: Flying to the stars

O Museu da Propagada em poster de Shanghai (Shanghai Propaganda Poster Art Center) é um ótimo passeio de final de semana. É um museu privado e fica em um apartamento no nível térreo de um condomínio residencial na antiga concessão francesa (já deu para perceber que não é suuuper fácil encontrar, mas não se preocupe, apesar do local inusitado todo mundo encontra).

São cerca de 5000 poster que representam artisticamente os ideais e os valores de um dos períodos mais intensos da história da China moderna. As principais atrações são os posters da época do estabelecimento da Nova China (Early Period 1949-1953), poster referentes a campanha econômica e social do “Grande Salto pra frente” (Great Leap Forward 1958-1960) e os poster do movimento da Guarda Vermelha (Red Guard Movement, 1966-1968). O diferencial deste museu, além claro da exibição destes raros posters,  é que quase todos os posters tem legendas em inglês. Fica a dica.

Endereço:

Shanghai Propaganda Poster Art Center (上海宣传画艺术中心 -shànghǎi xuānchuán yìshù zhōngxīn)
#868, Room BOC, Hua shan Rd RM.  (上海华山路868号BOC室)
mais informações: www.shanghaipropagandaart.com

apertem os cintos

Padrão


Esqueci de falar da super turbulência que peguei em um dos trajetos para chegar a Tailândia! Foi sinixxxtro!

Voo da Quantas, Shanghai-Hong Kong, assento no corredor. Estavam servindo o almoço e de repente, o avião deu umas três balançadas para o alto, para baixo e uma mais forte para o lado direito… parecia que estávamos em uma montanha-russa. Tentei segurar minha bandejinha mas não consegui, foi tudo para o chão, copo quebrado, sucos derramados, minha comida intacta. Uma senhora do meu lado estava tomando suco de tomate, caiu tudo em mim, ainda bem que havia pedido um cobertor para aeromoça. Passado o susto, os passageiros começaram a fotografar a bagunça e as aeromoças, a limpar o corredor.

Na hora de sair do avião vi que dois passageiros chegaram a pegar o “jaleco” salva-vidas debaixo da poltrona e ainda os inflaram! Que susto!!

sawadee ka!

Padrão

estação de trem em bangkok

No começo do mês ganhei um super presente do Ivan: uma semaninha de regarga na Tailândia.

"yoga-poetry"

Calma, está tudo bem. Melhor ainda depois que voltei. O problema é que esse inverno chinês me deixa muito pra baixo. É fato: eu preciso da energia do SOL!!! Eu preciso pelo menos VER o sol. Sem sol vou ficando amuada, sem energia, não tenho vontade de sair de casa, de manhã até a hora do lusco-fusco o céu tem a mesma cor, cinza..isso desde o dia que voltei do Brasil, ou seja, quase dois meses sem um pingo de sol…ai, eu não aguento não…(ou será que é o “China Blues”?). O Sol não está saindo por aqui nem de cesariana!

A princípio confesso que fiquei com peso na conciência de ir sozinha, gosto tanto da companhia aventureira do Ivan, ele sempre sabe a direção, as histórias de cada lugar, a melhor maneira de viajarmos, gosto de compartilhar as descobertas com ele, mas, desta vez, a viagem seria diferente e por isso decidi fazer algo bem diferente, não teria foco turístico-cultural e sim algo que realmente pudesse aumentar minha energia. Fiquei na casa de uma amiga australiana que mora em Bangkok por uma noite (adorei reencontrá-la e colocar a conversa em dia). No dia seguinte peguei um trem (12 horas de viagem), uma van (1 hora),um ônibus (2 horas), uma balsa (2.5 horas de viagem) e um barco-taxi (15 minutos, fichinha) até a ilha de Koh Phangan, na praia de Haad Tien, ao sul da Tailândia. Lá, fiquei uma semana fazendo um programa especial para regarregar as energias que incluia, refeições cruas, alguns dias de detox (sem refeições sólidas), meditação e yoga todos os dias. Tudo isso com muito sol e praia.

No final, adorei a experiência alternativa e os valiosos aprendizados! Voltei me sentindo super renovada, com muita energia para o nosso dia-a-dia oriental.

Além de voltar com mais energia, mudei também alguns hábitos de alimentação sendo que o principal deles foi não sentir necessidade de  comer chocolates (era uma verdadeira chocolatra!!!) e não ter mais estômago para comer muita carne, principalmente vermelha. Também estou conseguindo dormir mais cedo (geralmente não dormia antes das 2:00 am). Espero que consiga manter essas pequenas mudanças por um bom tempo.

Ah, no final deixei de lado a visão aventureira-romantizada  e peguei um avião para sair da ilha, afinal não queria acabar com toda a energia acumulada de uma vez só. (mesmo assim, o avião só substituiu a parte do trem)…perrenguinho, mas valeu muuutio a pena.  郭逸凡,我爱你! 谢谢!

santa vpn

Padrão

Alguns leitores já perceberam que o “Papelpicote” voltou. Sim, depois de idas e vindas, e mais de 6 meses parado, finalmente consegui colocar o blog de volta ao ar. Isso só foi possível porque compramos uma “VPN” (Virtual Private Network) ou Rede Privada Virtual. Aqui na China, todo o estrangeiro sabe o que é uma VPN. Sem a VPN não conseguimos acessar a maioria das Redes Sociais (Facebook, Twiter , Youtube, etc), o site da WordPress (onde está o Papelpicote) e muitos outros sites brasileiros e estrangeiros, ou seja, a gente só conseguia acessar o conteúdo autorizado pelo governo chinês. Tentamos resistir a idéia de ter uma VPN por um tempo, pois é meio estranho ter que “comprar a liberdade” para ver os sites que o mundo inteiro acessa e acho que deve até ser proibido na China, mas não teve jeito, mesmo pagando pela liberdade nos sentimos mais integrados e mais por dentro do que está acontecendo no Brasil e no mundo.

Como funciona? Hum, não sou muito da área técnica mas basicamente a VPN é uma forma de conectar dois computadores utilizando uma rede pública (no caso a Internet). Na prática, toda vez que queremos acessar o Facebook ou escrever no blog por exemplo, temos que nos conectar com log-in e senha a um servidor que, no nosso caso está nos Estados Unidos. Desta forma “parece” estamos fora da China. O serviço usa a criptografia na comunicação que garante que os dados não serão decifrados caso forem capturados durante a transmissão. Nossa, estou me sentindo uma Mata Hari com segurança particular. Além de acessar os conteúdos proibidos (aka, bloqueados pelo Great Wall of China), a internet também fica bem mais rápida. Vai aqui uma listinha de vpns pagos.

E os chineses? Coitados, vivem com a sensação de estar sendo diariamente monitorados. O acesso ao Facebook é negado e nas versões locais de mídia sociais eles tem que se registrar com o nome real (para facilitar a identificação em caso de escrever alguma “besteira”). O Google saiu da China pois não quis obedecer ao pedido do governo quanto a censura de conteúdo na ferramenta de busca. Até tentei colocar o blog em sites chineses como o Sina e Weibo, mas achei a parte gráfica fraca (feinhos), com poucas opções. Fora que teria que ensinar a família e amigos a acessar o site em chinês, imagina! Para toda opção estrangeira bloqueada, há um equivalente chinês, os principais são:

  • Facebook: RenRen / Kaixin001
  • Twiter: Weibo
  • Youtube: Youku
  • Flirck: Bababian / Xiami
  • Google / Yahoo: Baidu
  • MSN: QQ (MSN não é bloqueado, mas o QQ é muito mais popular)
  • Ebay: Taobao

clique aqui para ver um esquema completo do network de mídias sociais na China.

Só para sentir a situação, veja o comentário da Shen Jilan, 58 anos como deputada do Congresso Nacional do Povo,  sobre a internet: “Tenho uma idéia. Alguém deve gerenciar a web também. Não podemos deixar as pessoas fazerem o quê elas bem entenderem. (A internet) deve ser como o “People’s Daily” (jornal do partido). Os estrangeiros estão bagunçando (a internet). Não pode ser assim. Devemos fazer com que a Internet esteja de acordo com nossos princípios. Não devemos fazer uma coisa boa se tornar ruim e desta forma ser um lugar onde as pessoas falam o quê querem. Nosso país é um país socialista sob o comando do Partido Comunista.”  (fonte: Shanghaiist)

Fiquei passada! Santa ignorância. Santa VPN!