Arquivo mensal: fevereiro 2011

políticas únicas

Padrão

Depois da política do filho-único (1979), agora teremos a política do cachorro-único. Pelo menos em Shanghai, a partir de 15 de Maio de 2011, só será permitido um cachorro por residência. A nova política, bastante parecida com a implementada em Pequim desde 2006, além de restringir o número de cachorros por casa, também proíbe o porte de cachorros de grande porte como o mastiff tibetano e bulldogs ingleses (que nem é tão grande assim) para citar alguns. As pessoas com dois ou mais cachorros registrados no momento poderão continuar com os seus cães. Outro ponto é que caso o cachorro dê cria, os filhotes deverão ser vendidos ou dados à agência de doações até a idade de três meses.

Segundo o governo, as causas que levaram a restringir o número de cachorros são: (1) aumento no número de ataques de cachorros nos últimos anos, (2) muitas reclamações quanto ao barulho e latidos o que atrapalha a conviência social e (3 ) os donos geralmente não limpam as fezes dos cachorros na rua (o que infelizmente é verdade) o que pode gerar mais problemas de ordem sanitária.

Bom, acredito que eles poderiam abordar esses problemas de forma diferente como programas educacionais voltados a como criar um cachorro, desenvolvimento de cidadania e reforço das leis de higiene pública…mas cada cabeça uma lei…

No site Xinming (em chinês) a discussão segue acalorada. Há perguntas sobre qual o destino dos filhotes caso a pessoa não encontrar doadores ou caso os abrigos estejam cheios.  Outros defendem a política e acham que há um exagero de emoções, sustentando que deve-se amar os bicho mas devemos desenvolver amor, respeito e compreensao mais pelas pessoas do que pelos cachorros. Uma das respostas dos que são contrários a lei é que cães sempre serão cães enquanto pessoas nem sempre são pessoas (hum, interessante). Bom, e assim vai….

Minha simples teoria é que como aqui só pode ter um filho, os chineses começaram a ter mais cachorros, agora talvez eles tenham que recorrer aos gatos, peixes, passáros etc…desta forma, no futuro poderemos ter a política do gato-único, peixe-único, coelho-único etc etc…Mas para o bem da economia, acho que não teremos a política do carro-único tão cedo…

one-child policy: 计划生育政策 (jìhuà  shēngyù zhèngcè)

one-dog policy: 一犬一户(yī quǎn yī hù) ou 一户限养一犬 (yī hù xiàn yǎng yī quǎn)

Xinmin: http://news.xinmin.cn/t/hsblh/2010/11/05/7539648.html

Anúncios

wu guan tang – restaurante vegetariano

Padrão

A Ali, uma querida amiga americana me apresentou este charmoso restaurante vegetariano na Concessão Francesa em Shanghai, o Wu Guan Tang Vegetarian Restaurant. O restaurante tem como objetivo oferecer comidas sem MSG (glutamano monosódico), sem fritura, sem carne artificial e sem bebidas gaseificadas. O grande diferencial deste lugar é que você mesmo pode fazer sua comida, tudo com vegetais fresquinhos e limpos e também pode inventar sua própria mistura de chá com ervas e flores escolhidas direto do armário-apotecário (ou escolher uma das sugestões). Nós optamos pelo hotpot (RMB 85,00/pessoa – à vontade), cada uma tinha seu próprio conjuntinho (panela e aquecedor), a garçonete pôs uma trouxinha de especiarias para fazer a sopa do hotpot e também nos trouxe uma variedade de comidinhas para petiscar enquanto a sopa do hotpot esquentava. Embaixo da mesas tem uma gaveta com ralador, faca e tesouras, se você não quiser cortar/ralar etc pode pedir para a garçonete ajudar e ela já traz tudo prontinho. Você também pode fazer o seu próprio macarrão e cortá-lo na máquina do tamanho que quiser. Há também algumas deliciosas opções de temperos, como molho satai, 

pasta de gergelim, pasta de amendoim, pimentas etc para ir comendo com os legumes cozidos do hotpot. A garçonete que nos atendeu era uma senhora super delicada e fofa, ficou toda hora trazendo comidinhas e vegetais diferentes, perguntando se queriamos experimentar ou não. Ela também nos trouxe caldo de cana expremido na hora, um delícia. O som ambiente era de guqing (instrumento chinês com mais de 2000 ano). Fica a dica especial.

endereço: Wu Guan Tang Vegetarian Restaurant – No. 349 Xinhua Lu (próximo à Dingxi Lu) – 021-62813695

五观堂素食- 新华路349号 (近定西路)

museu do tabaco

Padrão

Final de semana frio em Shanghai. Resolvemos conhecer um museu diferente e na internet encontramos

o China Tobacco Museum – Museu do tabaco. É o tipo do museu que você só pensa em ir depois de já ter visto quase tudo pela cidade.  O programa não decepcionou, ficamos impressionados pela qualidade do museu, tudo organizado e registrado, legendas em chinês e inglês e entrada gratuíta. A parte que mais gostei foram dos rótulos de embalagens, tudo categorizado (imagens de animais, propaganda política, mulheres bonitas, esportes, símbolos de sorte, natureza etc..) Na tarde de domingo que passamos por lá, o museu só registrou 5 visitantes! Por curiosidade, perguntamos se era permitido fumar dentro do museu (não, ainda bem).

algumas notas sobre a visita:

-o tabaco foi introduzido na China há mais de 400 anos, durante a Dinastia Ming (1573-1620)

-em 1964 a empresa Sichuan Shifang foi eleita para ser a fornecedora de cigarros para líderes do governo.

-os cigarros do chairman Mao eram feitos pessoalmente por Fan Guorong, membro do grupo 132 (grupo de especialistas trazidos da fábrica Sichuan Shifang para a Beijing Cigarette Factory.

-Na época de Fan Guorong, os especialistas só podiam enrolar/fazer e 20 a 30 cigarros por dia.

-dentre as opções para fumar o tabacco na China, as mais bizzaras eram: fumar o cigarro pelo nariz, usar um water pipe (hooka) e as snuff bottles (cheirar o tabacco por uma garrafinha).

endereço: China Tobacco Museum – No. 728 Changyang Rd. 中国烟草博物馆 (上海市长阳路728号)

noite das lanternas

Padrão
Dia 17 foi o último dia do ano novo chinês.

No último dia do ano novo chinês, também conhecido pela noite das lanternas, as pessoas saem as ruas para ver lanternas e soltar mais fogos.  Dizem que no interior da China é bem divertido e bonito, mas como estamos aqui em Shanghai, fomos ver as lanternas no parque Yu (Yu Yuan) ponto turístico bem pertinho de casa.. Apesar da multidão as lanternas estavam lindas…

ano novo chinês em hangzhou e chengdu

Padrão
Passamos o ano novo chinês (do dia 2 para o dia 3) com a família do nosso querido amigo Chico em Hangzhou (杭州), cidade em que moramos 4 anos no tempo do mestrado e que até hoje é a nossa favorita.  Primeiro fomos jantar na casa da família do pai dele, conhecemos os avôs do Chico e toda a família, logo em seguida fomos jantar (de novo!!!) com a família da mãe do Chico em um restaurante. Foi muito gostoso, foi muita comida, e depois muitos e muitos fogos, é sempre muito impressionante!
No dia 3, acordamos bem cedinho e fomos com o Chico e o pai dele prestar oferendas para Guanyin no Templo Jingci (净慈寺 – temple of pure mercy), acendemos incenso (três no primeiro patamar, nove no segundo e doze no terceiro, segundo o Chico, o número de incensos deve triplicar a medida que vamos subindo para os outros salões do templo), tocamos o sino e fizemos doações. O templo estava cheio pois era o primeiro dia do ano e todos queriam pedir bons votos para o ano do coelho. Apesar de não sermos budistas, adoramos participar dessas atividades culturais bem chinesas. Depois de devidamente protegidos, seguimos viagem para Chengdu(成都), capital da Província de Sichuan (四川). O vôo durou umas três horas, chegamos a noitinha no hostel, deixamos as coisas e já fomos para uma Temple Fair (espécie de feira de templo que só tem durante o ano novo chinês e oferece comidas típicas, atrações, lanternas chinesas, badulaques de boa sorte, parque de cerejeiras em flor, etc etc). A Província de Sichuan é conhecida por ter a comida mais apimentada da China inteira, e realmente, a gente se sente um verdadeiro dragão depois de comer, suuuuper apimentado, em um simples macarrão tem no mínimo 4 tipos de pimenta, a boca até fica dormente, latejando e descobrimos que só iogurte para passar um pouco…mas mesmo assim a gente não consegue parar de comer, é viciante, saboroso, uma delícia!!!!
Também fomos até a cidade de Leshan (乐山-Happy Mountain), cerca de 130km de Chengdu.  A maior atração desta cidade é o Grande Buda (乐山大佛), a fila para descer da cabeça até o pé do Buda estava demorando de 3 a 4 horas (não porque o Buda é gigante, mas porque tinha muuuuuito chinês!!!), resolvemos ver o Buda de barco mesmo pois não dava para encarar a megafila.

Durante nossa viagem em Chengdu, também fomos ao Panda Breeding and Research Center (成都大熊猫繁育研究基地), ver nossos amigos: o panda gigante (que eh o panda branco e preto) e o panda vermelho (que parece uma raposa mais gordinha e vermelha). Concluímos que não há nada mais fofo no mundo do que um baby panda!!! Passamos horas observando os pandas bebês. Quem quisesse poderia tirar uma foto segurando um panda bebê por RMB 1000,00 (cerca de R$ 250,00). Reservamos uma noite em Chengdu para irmos a uma casa de chá especial (ha mais de 500 casas de chá em
Chengdu) para ver a Ópera de Sichuan, cuja atracao mais esperada é o homem que troca de máscaras (变脸)numa velocidade impressionante,  sempre quisemos ver esse número e ver ao vivo foi sensacional!!
Fizemos ainda muitas coisas por lá, resumindo: aula de cerâmica, passeio no distrito tibetano, parque do poeta Du Fu, tumba do Wang Jian, Museu arqueológico Jinsha, Luodai Old Town etc etc…valeu a pena!

ano novo, vida nova

Padrão

Olá pessoal,

Estamos de volta a China, de volta a Shanghai.

Resolvi começar este ano do coelho de uma nova forma, escrevendo aqui nossas historinhas e descobertas (pois é, depois de 7 anos de china, ainda temos muito o que descobrir e compartilhar). De um jeito despretencioso, escrevendo o que vier a cabeça, o que aparecer de interessante no nosso caminho…assim espero ficar mais proxima da familia e dos amigos também…toda forma de expressão vale a pena né! beijo pra todos!